Indiferença


Coração frio, a mão não sua, as pernas não tremem, no olho nenhuma lágrima brota, na cabeça nenhuma aflição, indiferença é só isso. Dentro de mim mora alguém e não é um anjo, mora alguém que fica escondido e que raramente se mostra. Mora alguém que não sente medo, que não sente vergonha, que não sente dor, que não sente amor, que não sente. Esse alguém é forte. A vida é dura. É preciso ser forte para aguenta-la, é preciso ser muito forte. E nessas horas eu não posso ser só eu, eu preciso do alguém que mora dentro de mim. A menininha doce e bonequinha que age com o coração e que mora aqui fora não aguentaria os trancos da vida, ela ia só sofrer, e sofrer para que?

Minha mãe costuma dizer que a pior dor é a que a gente tá sentindo. Eu vejo tanta razão nisso.Ultimamente a vida tem sido muito difícil ela tem me tirado tudo, amigos, dinheiro, esperanças e até mesmo vidas. Mas não ando triste. Não ando agindo com o coração, ele adormeceu e a razão está reinando por aqui. Faz alguns dias que não sonho, a realidade me deu um tapa na cara e agora estou do lado dela. Isso me fez mais forte, não estou alimentando nenhuma dor.Levei todas as situações ao seu extremo máximo e percebi que eu vou sobreviver a qualquer coisa que eu vou acordar no outro dia as 7 da manhã, vou trabalhar, vou estudar e terminarei a minha jornada as 22:30 do mesmo jeito, como sempre foi.

Com tantos sonhos e tantas delicadezas me parecia que eu num ia aguentar um monte de coisas e quando tudo deu errado eu me vi de pé enquanto o furacão girava. Nenhuma dor pode nos derrubar, é preciso não alimenta-las, porque assim elas morrem, são como as pessoas que morrem se você não alimentar lembranças, vai esquecer que elas se foram. Só existe uma solução, temos que ser frios e indiferentes.As vezes ficar vivendo tudo o que nos acontece magoa e dói, então é melhor mesmo ignorar. Eu que sempre colocava o coração na frente de tudo o que me acontecia e achava tudo o apocalipse. De repente, acordei e comecei a colocar a razão diante de tudo.É muito bom sair e me divertir e beber, mas a vida me cobra mais que isso, o mundo lá fora tem responsabilidades, chefes, dinheiro e gente de todo tipo e quando eu for lá fora tenho que ser forte e estar preparada para tudo. Agora estou.

Certas coisas não têm nenhum jeito e nenhuma solução, são assim porque são e é só isso, não vale a pena se martirizar e ficar tentando resolver, o melhor mesmo é levar a situação ao extremo e perceber que você vai agüentar qualquer coisa. O coração grita é claro, mas tem que deixar berrar e esperar ele se acalmar para conversar com ele.

Todo poeta, sente dor, mas carrega consigo uma certa dose de loucura, de indiferença e de frieza. Nenhum poeta é só amor, doçura e sensibilidade. É por isso que por vezes eles matam alguém em seus poemas. Poetas carregam consigo acidez ao lado da sensibilidade.É como no filme laranja mecânica, a loucura pode fazer bem, ela não é de todo ruim e precisamos dela. Precisamos mesmo.

Esses dias minhas poesias seriam objetivas, contrariando qualquer poesia.Quem mora dentro de mim? A indiferença. É ela que está comandando esses dias, não sinto dor alguma, alegria, arrependimento, perda, raiva, nada. Quando alguém pergunta sobre meu sofrimento eu digo que ele não existe, estou indiferente a tudo. A faculdade eu já não ligo mais, o sofrimento alheio não me comove e o vazio não me incomoda. É tudo indiferença, mas eu estou forte e tem me feito bem. A indiferença levou os meus sorrisos atoa e deixou um rosto mais sério, mas mais forte. Não sei até quando vai durar. Mas aprendi a lidar com minha sensibilidade que ainda existe, só precisei mescla-la com minha loucura e encontrei o equilibrio quase perfeito. Faltam alguns sonhos, mas de resto está tudo bem. Assim como a loucura a indiferença também pode ser boa, elas ajudam a não alimentar a dor. A Natália um pouco mais ácida e um pouco menos bonequinha que muitos conheceram há um tempo atrás parece ter ressurgido e agora é assim que vai ser. Isso traz maturidade e força e deixa um pouco da menininha de lado. Ambas existem e agora as duas se mostram mais. É só isso.

6 comentários:

ana sandim disse...

Indiferença é quando os minutos não se interessam por nada especialmente.


acho que agora vc entendeu.
confie e acredite em si..

Marcos Medeiros Raimundo disse...

Oi ruivinha =).
Sinceramente é um pouco triste ver a pequena de cabelos castanhos, pois a poesia dessa mora nesse castanho. Talvez agora essa poesia se torne mais intensa como o vermelho dessa ruiva que nasce, palavras decididas, como os atos dessa mulher.
Acho que só você vai enteder o que disse, e acho que agora entende que você não é somente a primeira parte daquele texto.
Estou feliz com essa mudança.

Hélio Monteiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Hélio Monteiro disse...

Loirinha, sem muito o que dizer, compartilho contigo o meu silencio! bjo.

João Killer disse...

Se isso te faz feliz, farei de tudo pra conseguir conviver com as duas. Sei que ser indiferente no fundo e uma busca por você mesmo. Complicado explicar o que eu entendi, só sei que entendi alguma coisa, que me fez te entender. Bom te ler.

Márcio Jr. Lacerda disse...

Suas palavras estão carregadas de emoção e sentimento, acho que a maioria de nós passa por essa fase um dia, são momentos difíceis que nos fazem voltar a nossa dura realidade, ainda assim não podemos deixar de sonhar. :-)

Um abraço!

Copyright @ Centopéia | Floral Day theme designed by SimplyWP | Bloggerized by GirlyBlogger