inspirando o momento

desviou o olhar
teve medo de cair em um abismo dentro dele
as mãos trêmulas minaram segredos
respirou ofegante
queria inspirar aquele momento
tentou lhe dizer
mas a garganta engasgou com o sentimento
saiu com passos desajeitados
de quem queria ir por um caminho
mas achou conveniente ir por outro
lhe perdeu na primeira esquina
lhe encontra todas as noites
mas perde pela manhã

5 comentários:

João Killer disse...

Parece ser tão real e um jeito Natália de ser.

G.C disse...

As vezes a gente abdica de um sentimento pela maneira mais dolorosa de fazê-lo, que é distanciar e/ou silenciar. Silenciar é um direito natural de todo o ser humano, mas jamais o coração.

uma vez escrevi um texto que tinha: 'e na sua respiração ofegante, eu me construí'... pq não se deixar construir pela sensação e pelo instinto que nos fala tão alto?

Marcos Medeiros Raimundo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Débora disse...

às vezes a gente se perde dentro da gente mesmo... no momento em que é mais fácil fugir do que estender os braços pras consequências, seja lá quais forem.
que o coração se aquiete pequena!
e eu sei e você sabe também o que fazer pra isso...

Hélio Monteiro disse...

Eu quero a sorte de um amor tranquilo, com sabor de fruta mordida... ácido como cazuza ao mesmo tempo tão sútil como a natália! bjo minha peixinha...

Copyright @ Centopéia | Floral Day theme designed by SimplyWP | Bloggerized by GirlyBlogger