Nudez de espírito

um dia eu ouvi "não espere que os outros façam por você o que você faz por eles" e ainda "faça o que é melhor para você, pois não sabemos o que as pessoas podem nos fazer amanhã".

Permaneço nua
Está escuro
Não estou só
Uma leve luz atravessa a fresta
Acaricio minhas companhias com a sombra da ponta dos meus dedos
Começa a chover
Meu corpo nu soluça de frio
Meu coração congelou
Fez todo meu sangue esfriar
Mas eu respiro, ainda que asmática
Os olhos lacrimejam mágoas
Já não reconheço ninguém
Meu anjo da guarda vem batucando
Vejo com os ouvidos
Apago a luz
Afinal não escuto com os olhos
Fria, sou agora uma sujeita a procura de um verbo
Sem o calor da luz, esfrio-me mais ainda
Procuro teu corpo para aquecer o meu
Apenas para que eu não morra
Jogue um cobertor sobre mim, amigo
Jogue um cobertor amigo sobre mim
Aqueça-me com tua honestidade
Aqueça-me com tuas verdades
As pessoas do quarto me viraram do avesso
e me comeram por dentro
como canibais
Sou só carcaça agora
Sinto-me forte
Mas estou nua de espírito.

3 comentários:

Guilherme Côrtes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
G.C disse...

uma nuvem negra pairou por aqui, rs. o que eu entendi pela nudez é aquela coisa que ainda tá desarmada mesmo com o desapontamento. e isso é bom. ontem quando eu li o seu texto achei ele super denso, hoje já não achei tanto. A tristeza pode ser uma coisa bonita quando dentro dela a gente busca ser feliz, né?

beijo.

Marcos Oliveira disse...

temos que ficar nus sim, não somente das roupas como dos nossos proprios medos...a solidão possivelmente é o maior medo da humanidade.
Seus dois ultimos poemas, destoam dos restantes, talvez porque mostram aos outros uma essencia desnudada....beijo!

Copyright @ Centopéia | Floral Day theme designed by SimplyWP | Bloggerized by GirlyBlogger