Sobre se apaixonar todos os dias

As pessoas tem dentro delas muitos erros e acertos, mas talvez os erros delas são o que as fazem felizes. O mundo é uma construção de coisas e a linha entre o certo e o errado é muito tênue. Os erros e acertos são uma construção conceitual de cada um. Há dias em que conceituamos o outro e as relações sociais não são para serem teorizadas, são para serem sentidas. A partir do momento que deixamos de respeitar as vontade e desejos do outro, deixamos também de respeita-lo. Por outro lado somos seres naturalmente individualistas e por isso devemos aprender a não atropelar os outros. Não deixar com que nossos sentimentos, desejos ou vontades passem por cima dos sentimentos de outrém. Tantas teorias fazem a gente se perder nos sentimentos e deles. Estar com o outrém é apenas sentir, sentir o que aquele momento lhe proporcina, sem pensar naquele momento. Os pensamentos são para a solidão. A solidão doi.
As vezes é preciso saber dosar nossos sentimentos para que eles não invadam o coração alheio, uma coisa é estar triste, outra coisa e deixar essa tristeza contagiar o outro. É mais fácil abandonar o outro quando ele entristece ou se afoga em uma solidão, mas é mais bonito busca-lo, aconchega-lo em braços de companhia, afeto e carinho. Nem sempre é preciso estar perto para estar junto, mas se você está longe, faça com que o outro sinta que você está perto.
Há dias em que é preciso colocar um nariz de palhaço para arrancar um sorriso triste. Acredito que temos o direito e o dever de sermos felizes e no ápice de nossa lucidez devemos viver os momentos sem medo, ainda que com cautela, da forma mais intensa possível. Porque intensidade é sentir e sentir faz bem. Sentir a proteção nos momentos de insegurança, sentir alegria nos momentos de amor, sentir-se só. Não devemos nos deixar sós. O mundo é verdadeiramente cão e precisamos encontrar valvulas de escape para fugir dele. Devemos entender que cada momento é único e que se ficarmos teorizando, vamos perdê-lo. É mesmo preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã. A tal da intensidade. As pessoas não são o que elas fazem, mas sim o que elas fazem para gente. É sempre bom pensar no que fazemos para as pessoas então, porque é isso que importa. Acho que a felicidade está acima de tudo, é a melhor sensação que podemos ter.

Já dizia Shakespeare, "ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa. " Talvez esse seja meu problema, sou apaixonada pelas pessoas e me apaixono todos os dias.

2 comentários:

Débora disse...

acho que de tudo, a gente precisa lembrar de ser feliz mesmo quando tudo começa a desabar por dentro, porque ninguém pode ser feliz pra gente... mas ver o sorriso no rosto do outro, contribui e muito para que a gente ache o sorriso perdido dentro da gente mesmo.

belo texto pequena! me fez pensar...

Guilherme Côrtes disse...

a gente tem que viver com calma e serenidade... ser honesto conosco pra ser com o outro primeiro. tem que pensar que não é o outro que faz a gente feliz, nunca... e sim a maneira como estamos lidando com o mundo, ou com a gente mesmo :)

Copyright @ Centopéia | Floral Day theme designed by SimplyWP | Bloggerized by GirlyBlogger