Mendigo de coração


-Você arreda para lá e me deixa sentar aqui no cantinho do seu coração?
-Hummm. Não sei. Abre sua mala.
-Trago um pouco de carinho, muito apego, uma pitada de amor, um dose de lourcura, um pouco de sal, um pouco de açucar, um mucadinho de dor e bastante amizade.
- Quais as consequências de eu te deixar entrar?
- Se um dia resolver me tirar dai, vai matar um pouquinho do seu coração junto, pois eu já farei parte da circulação do seu sangue.
- Se eu te deixar entrar vou ter que entrar no seu também?
- Não necessariamente, mas talvez você já esteja aqui.
- Mas eu não lembro de ter entrado. O que eu levei nas malas?
- Ainda não sei.
- Acho não posso te deixar entrar.
- Tudo bem. Não é fácil mesmo.
- Isso se chama amizade?
- Sim.
- Isso é tão infantil.
- Por isso é verdadeiro.
- Mas crianças vivem no mundo da fantasia.
- Talvez por isso o mundo delas seja tão real.
- Para deixar você entrar eu preciso saber quem você é.
- Sou um mendigo
- Dá pra ver pelas suas roupas e pela sujeira.
- Mas você não me pediu dinheiro e nem comida.
- Sou um mendigo de coração, não sou profissional.
- Entendi
- Bom, boa sorte. Até mais.
- Obrigada. Até.

4 comentários:

R@mon_Vitor disse...

Nossa. Muito legal. Rápido; Diálogo bem fácil de ler. E muito interessante. Parabéns.

ana sandim disse...

Mendigo De coraçãoes. por essa eu não esperava mas eu curti bastante.
=)

João Killer disse...

Meu Deus é de uma simplicidade "complexa". Seus últimos textos estão ótimos, cheios de sentimentos e ideias inovadoras. Perfeito esse texto, acredito que eu esteja vivendo dias de mendigo de coração.

Marcos Oliveira disse...

Sim! eu confesso que também sou um mendigo de coração....

Copyright @ Centopéia | Floral Day theme designed by SimplyWP | Bloggerized by GirlyBlogger