Ah, Deus!


a lágrima escorreu lentamente
pairou em meus lábios
eu sentia agora o gosto amargo da mentira
as lágrimas embassavam os olhos
e fazia o coração não acreditar no que via
sentia-me nua
o corpo soluçou de frio
haviam me comido por dentro
fixei os olhos na faca que entrava em meu peito
talvez o sangue me esquentasse
alguns abraços amigos me aqueceram o coração
mas onde foi que eu deixei o meu coração?
acho que o perdi
tal como o pote de açucar
que agora me parece ter se tornado sal
só por essa noite
só por esses dias
eu não serei uma puta com meu coração
vou deixa-lo solitário
deixa-lo se aquecer com os carinhos amigos
denovo estou na chuva e sem sombrinha
acho que já perdi as contas de quantas vezes isso aconteceu
só não vou me deixar ser levada pela correnteza da tristeza
porque o trem da vida passa as 11h30 e eu num quero perdê-lo
espero as mãos que vão se estender e me ajudar a subir nele
vou chorando, rindo, cantando e dormindo
num vagão distante de tudo todas as magoas e decepções
uma hora será hora de subir no trem e eu só terei uma palavra a dizer:

Adeus!

Ah, Deus!

6 comentários:

Anônimo disse...

Tá vendo cada migalha do coração? Estes pedacinhos caídos? Então... alguém não os mereceu. O que resta fazer? Seguir adiante, ser coerente, ser gentil, aprender com os próprios erros e porque não com os erros alheios... Dessa forma, evita-se aumentar os pedaços já feitos, assim como fazer em pedaços o de outros.
Em algum momento, em algum lugar, alguém irá juntar as migalhas (suas e dele) num só pacote e construir com você, um só coração.

Líh disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Líh disse...

Cada pedacinho do seu coração que se desfez pode ser colado com carinho de sinceros amigos. Aprendemos com os nosso erros e com os erros das outras pessoas e nunca deixe ninguém te magoar e nem machucar seu coração, pois, um coração tão bom não merece ser machucado nem despedaçado.

Débora disse...

simbora! pegar cola super bonder e colar esses pedacinhos aí.

Porque dói e a gente sabe... mas ninguém pode viver sem um coração.
Se agarre ao que puder porque o tempo passa depressa e às vezes eu penso que ele é como o vento: traz e leva as coisas, com intensidades diferentes...

se cuida pequena!
foi só um vento que passou...

G.C disse...

a vida tem um curandeiro muito profissa pra esse tipo de coisa: senhor tempo.

refaz seus caminhos, cuide bem do seu jardim e tenha paciência com as coisas... porque nem sempre tudo que cola - no caso seu coração - tá totalmente reparado na hora que a gente acha que tá. não deixe cascas, mas siga sempre seus caminhos, minha amiga :)

te adoro

Natália Oliveira disse...

meu sonho descobrir quem é esse anônimo. hahaha

Copyright @ Centopéia | Floral Day theme designed by SimplyWP | Bloggerized by GirlyBlogger